Meninos ou meninas? Temporada masculina celebra androgenia nas passarelas. Algumas marcas que desfilaram suas coleções na temporada masculina Verão 2014, que terminou dia 30 de junho em Paris.
Certamente muitos estilos de homens foram contemplados, do nerd cool de Marc Jacobs ao clássico italiano de Giorgio Armani. Com força aparecem os meninos contemporâneos que incrementam seus looks com cores e volumes e assumem de vez a bermuda de alfaiataria como sinônimo de elegância (Junya Watanabe, Lanvin, Hermès, Dior Homme, John Galliano…).
Porém, um grupo menor de estilistas criou a imagem da estação ao buscar no guarda-roupa feminino elementos para a construção de peças masculinas. Se há muitas décadas é o contrário que ocorre, agora, parece que vestidos, saias, tops e batons levam novos ares, mais ousados, ao universo antes aparentemente limitado dos homens.Como disse o jovem irlandês JW Anderson, que vem explorando esse caminho há algum tempo, é difícil fazer algo novo a cada coleção. Especialmente na moda masculina, que encontra resistência no próprio homem.
Veja abaixo os looks mais impactantes que brincam de esconde-esconde com a sexualidade masculina, dando força a mais um movimento andrógino.

A coleção de JW Anderson, mostra uma série de tops halter neck, que deixam ombros e costas à mostra, usados com calças oversized. O desfile mostra bem a divisão masculino/feminino e também conta com vestidos longos.

O estilista coreano Juun.J criou jaquetas inspiradas no futebol americano, mas em proporções volumosas e usadas com shorts curtíssimos e justos, quase hot pants, em um contraste claro entre o masculino e o feminino.

O estilista Thom Browne, da Moncler, se inspirou no críquete para criar uma coleção quase inteira branca, com destaque para sobreposições e camadas de peças. Os looks mais fortes são os que levam túnicas brancas usadas com paletós ou Cardigans.

Hedi Slimane está mais expert em criar polêmicas do que coleções para a Saint Laurent. Em meio a um punhado de referências andróginas,  a coleção tem a esperada vibe glam rock / rockabilly e foi desfilada por meninos magros além do possível – alguns com batom vermelho que lembraram os hiper andróginos New York Dolls.

O desfile com inspiração punk da Comme des Garçons também trabalha a sobreposição de peças, com paletós mais compridos e levemente acinturados, usados com saias estilo kilt. O clima é andrógino e glamouroso. 

A alfaiataria super controlada de Jil Sander mostra um exercício entre cores e linhas que tem na parte nas jaquetas seus melhores momentos. As bermudas amplas, coloridas e levemente plissadas, injeção de feminina na coleção, foram criticadas por muitos dos jornalistas especializados.

O que pode ser mais prático para uma mulher do que um vestido camiseta? Raf Simons trouxe essa ideia para os meninos em camisetões alongados e retos em preto ou rosa bebê. Alguns modelos também usavam sombra, rímel e batom.

 

Colunista: Fernanda Guimarães – Designer de Moda
http://www.dmfernandaguimaraes.com/
https://www.facebook.com/fernandaguimaraesconsultoria